Wednesday, April 29, 2009

O Lado Errado do tempo dos assassinos

Ele estava só, á espera do fim
Quando foi picado por uma abelha, numa esquina qualquer
Reviu para lá do espelho estranhas tradições
Que atrás de contradições davam estranhos passos em volta

Como numa balada estranha,
Em que uma estrela num trapézio feito de mar
Acorda uma miúda linda de 100 mil estrelas no olhar
Como um doce amor que por se sentir existe

Tão quente, a 50 e tal graus
Fervendo o mundo de quem tem pouco a perder
Que visto de cima no dorso da gaivota que voa frágil
Quase parece conter um demónio interior

Se os montes que restam, vistos do céu, neste voo tão nocturno
Sugerem fazer Yoga em pijama
Se as pontes ainda hirtas,
Lembram que anda sempre alguém por lá
Se as cartas de amor antigas
Deixam voar este sonho
É porque nesta espécie de vampiro malvado
Ainda resta algum fulgor na palma da mão

E se há muito tempo ele sabia haver sempre alguém
Hoje senta-se junto à ponte com a certeza farta
De que finalmente só, encontrou a velhice
Porém com a esperança de que enquanto houver alguém que ajude
Alguém para abrir o sinal
Agente vai continuar

'té já

10 comments:

AR said...

Como já te disse:

Biografia do Jorge em POesia!

Gustavo said...

Muito bom! Grande tributo ao Palma!

És grande!

Um abraço!

Anonymous said...

Gostei bastante...excelente retracto, bonito tributo!

Tens imenso talento :-)!

Té Já!

AnaC

AR said...

Retracto?
ou retrato?

AR said...

Aqui vai o meu "Poema Flipão"

Estava à espera do fim
Na estrada do sucesso
E a origem do drama
Veio ao meu encontro na estrada
Dizem que não sabia quem era
Essa miúda que tinha um dilema
Uma frágil cara de anjo mau
Eu sei lá se era uma espécie de vampiro
Mas dormia tão sossegada no seu cantinho
Há muito tempo eu a esperava junto à ponte
No bairro do amor a ouvir o boletim meteorológico
Comemos uma maçã de Junho ao Meio-dia
E ela disse que o meu amor era negativo
Foi a caminho do Norte
Com uma paragem pela terra dos sonhos
Que andámos pela ponta dos pés
Mas Só quando a gente lá chegar é que seremos tatuagens

Anonymous said...

Certamente retrato...obrigada pela observação.
AnaC

Gustavo said...

Muito bom AR! :-)

Já agora ponho também o que escrevi para o site marginal

Ouvir Jorge Palma é...
Uma viagem... muito para lá da palma da mão, voando pela Terra dos Sonhos e aterrando no Bairro do Amor, se o Jeremias não o fizer explodir antes com a bomba caseira.

Gustavo said...

Também já tive este no nick:

Passos em volta num trapézio junto à ponte entre a terra dos sonhos e o bairro do amor, onde há sempre lugar para mais alguém

AR said...

Muito bom, Gus!
:)*

nunca na vida irei ter um post com 9 comments, como este :P

André said...

Obrigado a todos. Este post é um luxo.
10 comentários é algo inimaginável para mim.
Muito Grato por tudo.
O Palma faz-nos escrever com alma.

How Many