Tuesday, June 28, 2011

Anjo Branco - A Saramago, por Saramago

Os dedos, sob o toque branco do que já não foi
Amor, prova desvendada daquilo que é
Virtude ao longe, ao cais do céu onde não posso voltar
Resta agora querer dizer outra vez - vou regressar

Crer que um anjo branco me pode salvar
As mãos sobre a terra escura a que me quero entregar
Luz ao longe a pátria espera com orgulho ver-me chegar
Mal daqueles que nunca tentaram sequer por bem de mim duvidar

Não ignoro as certezas da razão
Afasto de mim o que me lembra a solidão
E acordo para o bem, onde restas tu e eu
A certeza da destdita, essa comigo morreu

E aceito mudar esta condição, por fim, me entregar.

1 comment:

Raquel Moás said...

Não deu hipotese. I really like it :)

How Many