Wednesday, September 26, 2007

Andar a pé

Aperto o sapato
Atravesso a estrada de caderno na mão
Passo a ponte que liga Almada a Paris

Paris continua igual,
Não a si própria mas a Almada
Enfim, continuo no Feijó

A estrada segue em frente
Só vejo pó, fadas e alcatrão,
Um pobre assoa o nariz
Continuo sem parar

Cheira-me a carne...
AS-14-86 - belo carro
Estou louco.
Mas enquanto tiver noção disso, está tudo bem.

26 de Setembro de 2007.
Andar a pé.
Foto: Salamanca 2007. Noite (nota-se)

6 comments:

Mariana said...

sinceramente, até agora de tudo o que li teu, foi dos textos que mais gostei! pó, fadas e alcatrão ^^ genial mano.

venero-teee! xD

ines said...

bora pra paris ? : )

horta :) said...

todos estamos e somos um pouco loucos. era pior se assim não fosse.

beijoo *

David said...

Escreves bem ;D

Abraço

Rui Luís said...

Gostei muito, como é habitual. Quero sempre ter uma desilusão com a tua poesia, mas aquilo que escreves desilude a minha vontade odiosa. És fenomenal.

Abraço,
Rui Luís.

Deei* said...

Foi dos melhores que já escreveste, sem dúvida.*

How Many