Monday, March 05, 2007

O Homem Invísivel



O homem invisível decidiu dar cabo de mim
A sua presença é um convite permanente para a depressão
Estou sempre à espera de mais algum dos seus golpes baixos
Empurra-me para labirintos donde não há evasão

Ele já sabe há muito tempo que eu não posso detê-lo
Já sabe há muito tempo que eu não tenho meios para o apanhar
Sou eu quem dá a cara
Quem desperdiça a força que ele acaba por neutralizar

O homem invisível foi uma péssima invenção
Vive à custa do meu mal e não tem nada de bom para dar
E embora, às vezes, ele faça aliciantes promessas
Nenhuma delas até hoje me conseguiu acalmar

Eu sou apenas mais um entre os seus milhões de vítimas
Muitos já tentaram dar-lhe a volta, atirá-lo ao chão
Mas toda a gente falha
São todos contaminados pela sua má vibração

O homem invisível já é velho e cheira mal
Extremamente imoral, é capaz de vender a própria mãe
Não acredita no sonho, o seu amor é o dinheiro
E vive no terror constante de perder o que tem

Talvez eu nunca mais chegue a ver-me livre do monstro
Mas enquanto ele anda aí também vai ter que me aturar
Enquanto eu tiver voz
E algum sangue nas veias ele não vai conseguir descansar

Letra: Jorge Palma
Imagem:Algures da Web

4 comments:

Maçã de Junho said...

A agenda, a obra, o universo de Jorge Palma em www.bloguepalmaniaco.blogspot.com
newsletter/informações: contactar ladoerradodanoite@hotmail.com

Deeii * said...

Sem comentários. Talvez mais tarde m pronuncie. Jorge Palma não é de todo o meu intérprete favorito. Beijo*

Sh4d0w said...

hum... homem invisivel... shadow... sh4d0w... eu :D

obgd pela dedicatoria xDxD

luisa said...

o homem invisível??

o PLABO NERUDA tem um poema belíssimo com o mesmo nome. um dos meus favoritos. em "antologia breve" dom quixote, poesia do seculo XX, 5ª edição de 1977. vão à procura!!

How Many